Há poucas coisas tão bonitas como andar ao mesmo compasso.
Divide-se tudo e enfrenta-se o mundo de mãos dadas. Estas são as mulheres que o fazem ao lado dos criadores nacionais.
Por Lígia Gonçalves
Cláudia Efe e Isabel Abreu

A Cláudia já lhe conhecíamos o título de musa. Mas ainda que a palavra e o seu significado sejam belíssimos, dizer que é apenas musa não lhe faz justiça. Conta-nos com a delicadeza que caracteriza que se envolveu com a marca "desde o nascimento e ainda antes de conhecer o Ricardo".
Foi uma amiga a fazer a ponte entre ambos quando Cláudia sentiu a necessidade de ter um guarda-roupa único para concertos. A amiga, que trabalhava na revista Zoot sugeriu o criador que, na altura, estava a começar a marca. "Comecei a usar as roupas dele nos concertos. Convidava-o sempre mas nunca o conheci". Foi assim durante um ano, até que se encontraram e hoje são inseparáveis. "É uma simbiose tão orgânica que é até difícil colocar em palavras", diz.
Não ousamos invadir a cumplicidade, mas pedimos-lhe um descritivo de funções e Cláudia enumera: "Costumo estar sempre presente no processo de edição final das coleções, e durante o processo de criação trocamos fotografias, músicas, mensagens, frases". Pelo meio recorda um momento particular: "Houve uma altura em que ele me convidou para criar os padrões de uma coleção e acho que foi nesse momento que tive noção do meu papel e me apercebi do papel dele na minha vida".
Quanto a Isabel Abreu, conta-nos que "começou por acaso". E que foi a Cláudia a uni-los. "Conheci primeiro a Cláudia, porque fizemos um filme juntas". Em determinado momento, "estava a fazer uma peça e a Cláudia falou-me do trabalho do Ricardo, fui ver e fiquei completamente apaixonada. Entrei em contacto com ele para me ajudar nesse espetáculo e ficámos amigos". Um encontro que aconteceu "há quatro, cinco anos". Na verdade, não importa precisar a data porque, face aos sentimentos, o concreto é sempre supérfluo. E é precisamente nesse plano superior que tudo acontece. "É uma inspiração conjunta. A minha admiração pelo Ricardo inspira-me muito no meu trabalho e talvez a admiração que ele tenha por mim acabe por inspirar algumas coisas nele. Não é uma coisa concreta. Não é palpável. Não é uma função. É uma questão de inspiração. E de admiração"

Revista ELLE Portugal, Outubro 2017

You may also like

ModaLisboa Luz: Editor’s pick in Vogue.pt
2017
Meam by Ricardo Preto SS 2016
2015
Preto for Rustan’s in Business World Ph
2017
RICARDO PRETO exclusive for RUSTAN'S | FW'17/18 MEN
2017
Nova coleção de fardas no Bairro Alto Hotel in Ambitur
2017
Ricardo Preto SS17, MEN WEAR in GQ Portugal
2016
Regresso de Ricardo Preto in Observador.pt
2016
Ricardo Preto falta à ModaLisboa in VOGUE.pt
2016
About Ricardo Preto
2017
Clay's x Ricardo Preto in Máxima Portugal
2016
Back to Top